Checklist de Mudança: como ter uma mudança super tranquila

Início » Blog » Checklist de Mudança

Checklist de mudança é uma ferramenta de verificação e confirmação de etapas de uma mudança em ordem cronológica. Essas etapas são necessárias para que ao mudar de imóvel nada seja esquecido. E assim, tornando todo o processo de mudança mais simples e tranquilo.

 

Aluguel de caçamba serviço

Sabemos o quão estressante é todo o processo de mudança. Um checklist estruturado em ordem cronológica é uma verdadeira “mão na roda”.

Seguindo o checklist de mudança será tão fácil se mudar que você poderá trocar de casa com mais frequência.  🤣

Neste conteúdo você terá acesso a absolutamente tudo que nossos profissionais consideram mais importante de se lembrar em uma mudança. São em média 10 anos de experiência compilados em um processo extremamente simples.

Você irá aprender:

  • Os erros mais comuns ao organizar uma mudança.
  • Os segredos para embalar objetos e utensílios.
  • E claro. O passo a passo para uma mudança bem sucedida

Para economizar seu tempo estamos disponibilizando o checklist de mudança para download. 

Transportes e Mudanças Logomarca

Capítulo 1

Checklist de mudança: O que é? Porque utilizar?

Primeiro é necessario contextualizar o que é um checklist. Essa ferramente é utilizada no setor coporativo para garantir que todas as tarefas sejam iniciadas e terminadas. Esse é o mesmo objetivo de implementar um checklist no processo de mudança.

Aluguel de caçamba serviço

Agora que sabemos o que é a Checklist e para que ela serve vamos falar dela dentro do contexto da mudança. O processo de mudança pode se tornar bastante cansativo e problemático se não tivermos tudo sob controle. E é justamente a fim de evitar contratempos ou imprevistos que utilizamos a checklist de mudança como uma ferramenta que ajudará a listar os processos em ordem cronológica, na qual definiremos o que fazer primeiro e o que fazer por último, e em ordem de prioridade, na qual diferenciamos o que é necessário, imprescindível daquilo que é apenas desejável, mas não obrigatório.

Como bem sabemos, até mesmo o cérebro mais saudável que existe não consegue lembrar de tudo. Faz parte do funcionamento saudável do nosso cérebro selecionar o que são informações relevantes que devem ser armazenadas e o que não são e podem ser descartadas com o tempo. Logo, para evitar que processos importantes de uma mudança sejam esquecidos precisamos listá-los para que posteriormente façamos a checagem do que já foi concluído e do que ainda falta. No entanto, antes de criar a nossa checklist de mudança precisamos saber exatamente o que precisaremos fazer, conhecer bem os processos e saber calcular inclusive uma média do tempo que será gasto com cada item para então colocar tudo em uma ordem a ser seguida dentro do tempo estipulado. Além disso, uma checklist só será eficiente se não deixarmos de incluir nenhum item nela, caso contrário estaremos sujeitos a imprevistos que podem causar atrasos, prejuízos entre outros problemas. A checklist te ajudará a planejar sua mudança de forma prática e simples e sem surpresas desagradáveis ao longo do percurso. Ao final de tudo você verá que o dia da mudança foi mais fácil do que você esperava já que você tinha tudo sob controle antes mesmo de começar.

Quais são os erros mais comuns ao organizar uma mudança?

Quais são os erros mais comuns ao organizar uma mudança?

Alguns erros acabam se tornando comuns na hora de se preparar para a mudança uma vez que são cometidos pela maioria das pessoas que estão neste processo de mudança. Mas todos estes erros geralmente estão ligados a um só fator: a falta de planejamento.

A falta de planejamento pode estar ligada, por exemplo, a um desconhecimento de todos processos envolvidos em uma mudança. Já que não é comum mudar-se com frequência, é normal não saber item por item a ser observado neste processo, e isso acaba por gerar mais trabalho que o esperado na preparação para uma mudança. Mas essa falta de planejamento também pode estar ligada ao tão falado “jeitinho brasileiro” que faz com que as pessoas acabem por deixar tudo pra última hora. Como de costume, “tudo” pode se tornar muito mais do que o esperado e a “última hora” pode se tornar pouco tempo para executar tudo isso.

Você deve estar se perguntando: “Por que preciso saber quais são os erros mais comuns ao organizar a minha mudança?”

E nós te respondemos! Saber os erros mais comuns te ajuda a se preparar para que você não acabe cometendo os mesmos. Você pode até saber a coisa certa a se fazer, mas se não souber como fazer pode acabar caindo em um desses erros ou até mesmo em outros. Por exemplo, todo mundo sabe que precisa embalar seus objetos e utensílios para a mudança, mas aqueles que não sabem como embalar acabam tendo prejuízo. E é exatamente isso que queremos evitar! Sabemos que cada mudança é única, pois possuem características específicas tanto dos moradores (que podem ser mais rápidos, ou mais lentos, mais habilidosos ou inexperientes) como dos locais de onde e para onde a mudança está indo (trajetos curtos ou longos, de lugares pequenos para lugares mais amplos ou vice-versa). Embora existam tais diferenças existem procedimentos que já se tornaram padrão e para ter uma mudança bem-sucedida é necessário ter domínio tanto dos procedimentos habituais quanto das especificidades de cada caso.

Então, vamos aos erros mais comuns na hora de organizar uma mudança!

Deixar para última hora 

Geralmente, mesmo que inconscientemente, as pessoas dividem o processo de mudança em duas partes. A parte burocrática e a parte prática. Consequentemente dedicam-se mais a parte burocrática, e a parte prática tende a ficar para a última hora. Desse modo, resolvem toda a papelada como contratos de compra e venda e/ou contratos de locação, mas se esquecem de pesquisar com antecedência a empresa responsável pela mudança e não se preparam devidamente para embalar os objetos e itens da casa, por exemplo.

É preciso providenciar com antecedência todo o material necessário para embalar tudo (móveis, objetos, miudezas, utensílios domésticos, roupas, etc.), portanto há que se providenciar caixas de diferentes tamanhos de acordo com o que será colocado nelas, fita adesiva para garantir que as caixas serão bem fechadas, plástico bolha para embalar os itens mais frágeis, etiquetas para identificação, e o que mais for necessário conforme o que será embalado. Ou seja, não é possível embalar tudo no dia da mudança. É necessário tempo para separar os objetos, criar uma ordem para embalá-los, etiquetar, lacrar as caixas e identificá-las de acordo com o seu conteúdo.

Deixar para a última hora pode acabar atrasando sua mudança e se você tiver prazos a cumprir, como data de entrega do imóvel antigo, isso pode gerar conflitos e até um gasto a mais no orçamento. Além disso, deixar para a última hora pode fazer com que você fique refém de uma empresa ou profissional já que não terá tempo para fazer uma pesquisa de preços e pode até mesmo ter dificuldade de encontrar profissionais de qualidade em cima da hora. Ou seja, você será obrigado a se contentar e fazer negócio com o primeiro que achar, sem ter certeza da qualidade do serviço prestado nem se o orçamento foi justo e estava de acordo com o mercado.

Contratar qualquer empresa ou profissional

Outro erro comum que as pessoas cometem é não buscar uma empresa ou profissional devidamente qualificado para ajudar com o processo de mudança. Geralmente, o único fator avaliado pela maioria das pessoas que desejam se mudar é o preço, e elas sempre optam pelo mais barato. É claro que isso também não significa que o mais caro oferecerá o melhor serviço. Sabemos que há empresas e profissionais que superfaturam sua mão de obra e não oferecem um serviço de qualidade. Logo, contratar qualquer um, independente de ser o mais barato, o mais caro ou o primeiro que achou, pode ser um erro que lhe causará danos e prejuízo, seja por ter desembolsado um valor acima do mercado para pagar o profissional ou por problemas no transporte que acarretem na perda ou na danificação de algum item da mudança.

O mais indicado nesses casos é se informar, avaliar as empresas e profissionais, fazer comparações não só quanto ao preço, mas comparar também as avaliações feitas por outras pessoas, o que elas estão dizendo a respeito do serviço ofertado, se elas se sentiram lesadas em algum aspecto e se elas indicam ou não aquela empresa ou profissional para realizar seu serviço de mudança.

Partindo do pressuposto de que você aprendeu e não irá mais cometer o primeiro erro, que é deixar tudo pra última hora, aproveite para pesquisar, se informar e contratar um serviço de qualidade para o transporte de sua mudança, assim você evita também o segundo erro.

Dispensar os ajudantes profissionais

Embora cada um possua uma realidade, é comum as pessoas quererem cortar gastos que elas julgam desnecessários. Muitas pessoas se enganam pensando que qualquer um pode fazer um “serviço pesado”, como carregar os móveis até o caminhão da mudança ou do caminhão até a nova residência. Com isso, elas dispensam o auxílio de ajudantes profissionais e acabam tentando fazer sozinhas ou pedindo a ajuda de familiares e amigos que, assim como elas, não possuem experiência na área. E mais uma vez, o famoso “jeitinho brasileiro” pode resultar no conhecido “barato que sai caro”, pois além de danificar os móveis ou até quebrar algum item, uma pessoa despreparada pode prejudicar a própria saúde ao pegar um objeto pesado de mau jeito ou fazer um esforço que não está acostumado, podendo gerar dores nas costas, travamento da coluna, entre outros infortúnios.

Para garantir a preservação dos móveis e demais utensílios a serem transportados no dia da mudança é necessário que o serviço seja feito por profissionais qualificados. Estes profissionais sabem exatamente a maneira certa de transportá-los, qual a melhor maneira de segurá-los, quantas pessoas serão necessárias e além disso estão preparados para lidar com percalços como escadas, quinas e lugares estreitos por onde deverão passar com os móveis sem danificá-los, e é claro, sem prejudicar a própria saúde.

Ademais, tem-se ainda os móveis que precisam ser desmontados para o transporte e em seguida montados novamente ao chegar à nova residência. O processo de desmontagem, embora seja aparentemente fácil, exige muito cuidado e atenção, pois muitas vezes uma pessoa sem experiência pode acabar fazendo uso da força quando não sabe o jeito certo de fazer a desmontagem e com isso pode acabar quebrando ou estragando os móveis. Além disso, é necessário cuidado também para que nenhuma peça como parafusos, porcas e outros pormenores se percam, e para isso elas devem ser armazenadas em um local seguro. Geralmente, a pessoa que está responsável por toda a mudança tem muitas tarefas para resolver e ter que ficar responsável até por esses mínimos detalhes pode fazer com que ela, por está sobrecarregada com tantos afazeres, acabe não dispondo do tempo nem do zelo necessário para cuidar de cada detalhe. Sendo assim, o melhor a se fazer é contar com a ajuda de profissionais capacitados para o serviço.

Segredos para embalar objetos e utensílios.

Para garantir que você não tenha prejuízos durante a mudança é necessário que objetos e utensílios sejam embalados corretamente. No dia da mudança tudo deve estar perfeitamente embrulhado e encaixotado, de acordo com a necessidade e especificidade de cada utensílio, assegurando que tudo chegará à casa nova em perfeito estado e evitando qualquer surpresa desagradável.

Sabendo da importância de embalar adequadamente objetos e utensílios para uma mudança, disponibilizamos dicas valiosas que te ajudarão na hora de embalar suas coisas para que tudo seja transportado em segurança até o seu novo lar.

Dica 1:

A primeira dica para te ajudar a embalar seus objetos e utensílios é providenciar o material que será utilizado.

O material mais utilizado em uma mudança são caixas de papelão. Você precisará de várias caixas de diversos tamanhos. Existem lojas que vendem caixas de papelão para uso exclusivo em mudanças. Mas se quiser evitar gastos você também pode ir a algum supermercado próximo à sua residência e pedir algumas caixas. A maioria dos supermercados sempre disponibiliza as caixas que vieram com mercadorias sem cobrar nada por isso. Lá você também encontra caixas de modelos e tamanhos variados.

Além das caixas de papelão você também precisará de fita adesiva para lacrar as caixas evitando que elas acabem abrindo no trajeto. A fita adesiva deve ser usada não só para fechar a caixa depois que ela estiver cheia, mas deve ser usada inclusive para reforçar o fundo da caixa antes mesmo de começar a colocar os objetos dentro dela. É provável que você já tenha visto a cena clássica de uma pessoa pegando uma caixa e ao levantá-la o fundo da caixa se abre fazendo com que todo o conteúdo dela se espalhe pelo chão. Talvez seja algo engraçado de se ver, mas você, com toda certeza, não vai querer estar nesta situação, ainda mais em se tratando de seus utensílios domésticos que você embrulhou com tanto carinho para levar para a casa nova. Então, não economize fita adesiva!

Para os objetos mais frágeis você precisará de plástico bolha, papel manilha, papel kraft, ou até mesmo jornais. Você precisará envolvê-los em louças, vasos, espelhos e demais artigos de vidro, cerâmica ou outros igualmente frágeis para evitar que eles se quebrem ao longo do percurso.

Você também precisará de etiquetas para colar nas caixas de modo a identificar o que há dentro delas sem que seja necessário abrir uma por uma até você encontrar o que deseja. Você também pode apenas fazer uso de uma caneta hidrográfica (de ponta grossa, preferencialmente) e escrever na própria caixa qual o seu conteúdo. Mas lembre-se de observar, caso as caixas sejam de supermercado, se elas não estão totalmente estampadas com o logotipo, símbolos e demais informações do produto. Dependendo da forma como está a caixa torna-se impossível conseguir escrever algo de forma clara e facilmente visível.

Dica 2:

A melhor maneira de encaixotar suas coisas sem fazer uma bagunça é separando cômodo por cômodo. Começando pelos cômodos menos utilizados como garagem e sótão. Esta dica facilitará não só o processo de embalagem dos objetos e utensílios, mas também ajudará na hora de colocar tudo no lugar quando já estiver na casa nova.

Além de separar por cômodos, coloque itens iguais juntos em suas respectivas caixas. Uma ou quantas caixas forem necessárias para os copos, outra(s) para os pratos, outra para talheres e assim por diante.

Lembrando que é necessário colocar uma identificação nas caixas para saber a qual cômodo elas pertencem e o seu conteúdo.

Dica 3:

Quando iniciar o processo de embalagem aproveite para ter um olhar mais atento para suas coisas. Certifique-se de que está levando para a casa nova somente aquilo que você realmente necessita e usa. Aproveite este processo para avaliar aquilo que você tem mas que não usa mais e que poderia ser útil para outra pessoa. Pratique o desapego e doe para um amigo ou para uma instituição de caridade aquilo que não te serve mais. Estimule essa prática entre os seus familiares, inclusive entre as crianças. Algumas crianças possuem tantos brinquedos que são incapazes de brincar com todos, mesmo que quisessem. E por mais brinquedos que tenham, elas sempre tem aqueles poucos que são seus favoritos. Aproveite a mudança e combine com seus filhos de doarem os brinquedos que eles não usam mais. Mostre-os que os brinquedos que eles não acham mais tão legais podem fazer outras crianças felizes. Se você tiver tempo, leve as crianças junto na hora de doar, para que elas vejam como é importante este ato.

Lembre-se: casa nova, vida nova! Livre-se das coisas velhas e abra espaço para o novo!

Dica 4:

Esta dica ajudará para que o peso das caixas não se torne um problema na hora da mudança. Coloque objetos pesados em caixas menores e objetos mais leves em caixas maiores. Caixas muito grandes cheias de itens pesados são difíceis de carregar e podem acabar atrasando a mudança. Respeite o limite de peso das caixas para que elas não rasguem no trajeto e algum item seja danificado.

Dica 5:

Você tem malas de viagem? Use-as! Aproveite para colocar suas roupas nelas. É provável que não caibam todas, mas pelo menos você consegue economizar umas caixas. Para facilitar ainda mais, divida as roupas por estações, como inverno e verão, e ganhe tempo na hora de desfazer a mudança.

Dica 6:

Ao embalar objetos frágeis embrulhe-os com plástico bolha, papel manilha ou jornal e evite deixar espaços vazios, pois eles poderão bater um contra o outro no trajeto e acabar se quebrando ou danificando. Você também pode usar toalhas e outras peças para ajudar a embrulhar os itens mais frágeis dificultando o atrito entre eles.

Dica 7:

Eletrodomésticos como geladeira, freezer, máquina de lavar e micro-ondas devem estar limpos e totalmente secos. Para evitar que sejam danificados durante o trajeto é importante que eles também sejam embalados devidamente. Até mesmo um edredom pode ser utilizado para cobri-los e evitar que se choquem contra o caminhão ou algum outro móvel vindo a arranhar ou amassar.

Televisores e demais aparelhos eletrônicos também podem ser embrulhados em cobertores na falta do plástico bolha.

Dica 8:

Separe uma caixa para itens de necessidades básicas que te ajudarão a sobreviver nos primeiros dias na casa nova enquanto você coloca as coisas no lugar. Coloque algumas mudas de roupa, inclusive roupa íntima, itens de higiene pessoal como sabonete, escova de dentes, creme dental, desodorante, papel higiênico e remédios como analgésicos e antialérgicos.

Dica 9:

Itens de valor como relógios, joias, dinheiro, smartphone e documentos como passaporte e CNH devem ser guardados em um local seguro e de preferência devem seguir com você na mudança para evitar apuros.

Dica 10:

Esta dica não envolve tanto como embalar, mas pode ser muito útil. Quando estiver se aproximando o dia da mudança evite fazer a famosa “compra do mês”. Compre apenas o necessário para os dias que você ficará na casa antiga e aos poucos vá esvaziando a sua despensa. Isso evitará que no dia da mudança você precise arrumar muitas caixas para embalar os vários alimentos que estão em sua despensa. Você ganhará tempo e espaço no caminhão da mudança. Além disso, é provável que ao fim do dia da mudança você esteja cansada demais para quer ir pro fogão ou até para sair e jantar fora, então, aproveite para pedir o jantar ou até mesmo uma pizza pelo aplicativo. Depois de tanto trabalho, você merece!

Passo-a-passo para uma mudança bem-sucedida.

Para você, que ainda tem tempo de se organizar antes do tão esperado dia da mudança, preparamos uma Checklist de mudança no qual descrevemos em ordem cronológica as principais medidas que você precisará tomar antes de mudar-se para a nova casa. O intuito desta Checklist é fazer com que o processo de mudança para a casa nova se torne extremamente simples para você e ainda te ajudar a lembrar de processos que talvez você nem tenha parado para pensar, mas que, com certeza, terá que resolver. Você pode aproveitar essa Checklist de mudança para se orientar e até mesmo para adaptá-la na hora de criar a sua própria Checklist de mudança com informações mais específicas do seu cotidiano e da sua rotina. Como já dissemos, o planejamento é fundamental na hora de mudar-se e não basta se planejar apenas no dia da mudança. Quanto mais tempo você tiver para se organizar e quanto melhor for o seu planejamento prévio mais simples e menos cansativa será a mudança. Conheça a seguir nossa Checklist de mudança que te ajudará a ter uma mudança bem-sucedida.

Conheça nossa checklist de mudança

Com 1 a 2 meses de antecedência:

*Resolva completamente as questões burocráticas da mudança para a casa nova (assinatura de contratos de compra e venda ou aluguel, recibos de pagamento, etc.) Se você morava de aluguel na antiga casa não esqueça de observar no Contrato de Aluguel informações sobre a quebra do contrato, pagamento de multa e com quanto tempo de antecedência você deverá informar sua saída do imóvel.

*Atenção aos animais de estimação! Muitas pessoas ao se mudarem descobrem que o condomínio ou o proprietário do imóvel não aceita animais de estimação e por vezes abandonam seus bichinhos a própria sorte e como sabemos, animais que já foram domesticados têm ainda mais dificuldade de se adaptarem nas ruas, podem ser atropelados e até pegar alguma doença. Esta é uma dura realidade que presenciamos todos os dias. Então, observe com antecedência se seus pets são permitidos, e caso não sejam procure um abrigo ou até mesmo um familiar, amigo ou conhecido que possa ficar com seu bichinho, amá-lo e dar todo o carinho e cuidado que ele precisa. Encontrar alguém pode levar tempo, então, quanto antes você começar, melhor!

*Verificar se os móveis da casa antiga cabem na nova casa ou se será necessário fazer adaptações ou até mesmo comprar outros novos. Caso a antiga casa tenha móveis planejados que são feitos sob medida para um ambiente específico, é provável que eles não caibam perfeitamente no novo ambiente se o layout das mesmas não forem compatíveis, então, faça as medidas e verifique antes.

Com um mês de antecedência:

*Fazer orçamentos, pesquisar e contratar o Carreto. Verificar se eles também trabalham com desmonte de móveis ou se podem indicar alguém que preste este serviço.

*Agendar o desmonte de móveis grandes.

*Comprar itens para embalar objetos, utensílios e móveis.

*Começar a empacotar as coisa. Comece pelo que você utiliza menos.

Com três semanas de antecedência:

*Fazer as adaptações no novo imóvel caso seja necessário (pintar, fazer ajustes na parte elétrica, colocar grades nas janelas, etc.)

*Agendar o desligamento junto às prestadoras de água, energia, telefonia e TV a cabo da antiga casa e transferência para a casa nova no nome do novo proprietário.

*Alterar o endereço para recebimento de correspondências como banco, plano de saúde, etc.

*Separar itens que serão doados e agendar um dia para fazer a doação.

Com duas semanas de antecedência:

*Agende um local para deixar os animais de estimação no dia da mudança. Neste caso, ainda que você possa levar seus pets para a casa nova, o processo de mudança pode ser estressante para eles que não entendem o que está acontecendo e você pode poupá-los disso deixando-os aos cuidados de alguém de confiança. Existem hotéis específicos para cachorros por exemplo, mas se você quiser economizar pode pedir a algum parente ou amigo que fique com seus bichinhos enquanto você faz a mudança com mais tranquilidade.

*Se você tem crianças pequenas também é recomendável deixá-las com alguém de sua confiança no dia da mudança. Em uma mudança estamos expostos a várias situações adversas como barulho, bagunça, poeira além de várias pessoas circulando com itens pesados, então, para evitar qualquer incidente recomendamos que as crianças sejam deixadas em um local seguro aos cuidados de um adulto responsável e de confiança.

Com uma semana de antecedência:

*Informar a todos os envolvidos sobre o dia e horário da mudança (o proprietário caso o imóvel seja alugado, avisar na portaria em caso de condomínio fechado e demais pessoas que ajudarão na mudança).

* Listar a quantidade de caixas e outros itens na mudança para fazer a verificação quando chegar à casa nova.

*Separar itens que serão utilizados no dia da mudança (caixa de necessidades básicas).

Quais são os erros mais comuns ao organizar uma mudança?